@'~ Rubra Rosa

RPG, Anime, cinema, música, animais, crafts, papercraft, toy art, cultura steampunk, subcultura gotica, web, cultura popular, etc. Há muita coisa no mundo e tudo se compartilha!

Subscribe
Orkut
Tumblr
20 de jan de 2010

Papercrafts

Para quem não conhece Papercrafts (ou Pepakura) é, segundo o Wikipedia, "um método de construção de objetos tridimensionais a partir de papel, semelhante ao Origami. Contudo, distingue-se em que a construção geralmente é feita com vários pedaços de papel, e esses pedaços são cortados com tesoura e fixados uns aos outros com cola, em vez de se suportarem individualmente. Uma vez que os modelos de papercraft podem ser facilmente impressos e montados, a Internet tornou-se um meio popular para a sua divulgação.
Um software chamado Pepakura Designer é capaz de converter os polígnos de um arquivo em 3D para um modelo de papercraft o que facilitou que pessoas criassem seus próprios modelos".


Então, depois de visitar (mais uma vez) o blog "Bichinhos de Jardim" da Clara Gomes e fazer o download do Pepakura do meu bichinho favorito, o Meleca, me interessei em procurar por sites que disponibilizam o download de moldes de Papercrafts e achei uns bem legaizinhos. :)
Conversando com um amigo, fiquei sabendo que tem Papercrafts de 20 folhas, 40 folhas! O_O Fiquei abismada. rs Mas tá aí um passatempo, uma terapia até, bem legal pra quem tem disposição e paciencia! ;)


E aí vai pra vcs a foto do meu Meleca! Espero que gostem! ^_________^



Dei um nome ao meu Meleca para diferencia-lo do Meleca da Clarinha Gomes (autora dos bichinhos). Ele se chama Meleca Panqueca: O Poeta Pateta!

E pra vcs verem que legal o trabalho de outras pessoas, vai ai algumas  imagens do trabalho de papercrafts de outras pessoas (e link direto pro PFD dos moldes):









 Na próxima eu posto mais pra vocês!
Au revoir! o/

[Ler mais...]

O Conselho Steampunk mais uma vez tem a honra de convidar a todos os confrades e curiosos a respeito do gênero Steampunk para um evento especial. Um encontro no Masp seguido de um piquenique Vitoriano! O encontro terá inicio as 13:30 do dia 20 de fevereiro no vão livre do MASP e mais tarde terá continuidade do outro lado da avenida(em frente ao Masp) em um piquenique.

O Encontro no Masp




MASP é o mais importante museu de arte ocidental do Hemisfério Sul. Seu acervo é tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN desde 1969, e possui atualmente cerca de 8.000 peças, dentre as quais destacam-se as pinturas ocidentais, principalmente italianas e francesas. Do século XIII aos dias de hoje, pode-se apreciar Rafael, Mantegna e Botticceli – da escola italiana – e Delacroix, Renoir, Monet, Cèzanne, Picasso, Modigliani, Toulouse-Lautrec, Van Gogh, Matisse e Chagall – da chamada Escola de Paris.
Possui também uma grande coleção de pinturas da escola portuguesa, espanhola e flamenga, além de artistas ingleses e latino-americanos, como Diego Rivera. Dentre a coleção de artistas brasileiros, destacam-se Cândido Portinari, Di Cavalcanti, Anita Malfatti e Almeida Junior.

Dentre as esculturas, destacam-se os mármores da deusa grega Higéia do século IV a.C. e a coleção de 73 esculturas de Degas, que só podem ser vistas integralmente no MASP, no Metropolitan Museum de Nova York, ou no Museu D`Orsay, em Paris. Também destacam-se os bronzes de Rodin, as peças de Ernesto di Fiori e Victor Brecheret, entre outros.
Coleções de gravuras, fotografias, desenhos, arqueologia, maiólicas, tapeçaria e artes decorativas européias, além de uma grande coleção de peças kitsch, também fazem parte do acervo do museu.
Endereço:
Av. Paulista, 1578 – São Paulo – SP
Telefone 55 – 11 – 3251-5644 / Fax 55 – 11 – 3284-0574
Próximo à estação de metrô Trianon-MASP
Ingressos: R$15,00 (valor inteiro) e R$ 7,00 (estudantes com identificação da instituição).
Entrada gratuita ao público somente às terças-feiras.
Menores de 10 e maiores de 60 anos não pagam.
Saiba como chegar.

O Piquenique Vitoriano




O piquenique terá como cenário o parque Parque Tenente Siqueira Campos, mais conhecido como Parque Trianon ou Parque do Trianon, que foi inaugurado em abril de 1892 com a abertura da Avenida Paulista na cidade de São Paulo. Foi projetado pelo paisagista francês Paul Villon. O nome Trianon veio do fato de, naquele tempo, existir no local onde hoje se situa o Museu de Arte de São Paulo, em frente ao parque, um clube com o nome Trianon. O arquiteto Ramos de Azevedo desenvolveu o projeto de (1911-1914), na administração do Barão de Duprat, do chamado Belvedere Trianon, construído em 1916 e demolido em 1957 para dar lugar ao museu.




Em 1924, o parque foi doado à prefeitura, e, em 1931, recebeu sua denominação atual em homenagem a um dos heróis da Revolta Tenentista, Antônio de Siqueira Campos.


O parque foi inaugurado em 3 de abril de 1892 e deve ter seu surgimento entendido no contexto do processo de urbanização da cidade de São Paulo daquela época. No ano anterior ocorrera a inauguração da Avenida Paulista. Naquela época, o ambiente cultural da aristocracia cafeeira era dominado por influências do romantismo europeu do século XIX e, dessa forma, o parque acabou ganhando ares de um jardim inglês, apesar de sua exuberante vegetação tropical, remanescente da Mata Atlântica da região do alto do Caaguaçu, atual espigão da Paulista.
O responsável pelo projeto paisagístico foi o francês Paul Villon, motivo pelo qual o parque às vezes ser citado, nos textos antigos, como Parque Villon. O nome Trianon veio do fato de, naquele tempo, existir no local onde hoje se situa o Museu de Arte de São Paulo em frente ao parque, um clube com o nome Trianon, onde foi construído de (1911-1914) o chamado belvedere com projeto do arquiteto Ramos de Azevedo.




Por muitos anos ainda foi conhecido como parque da Avenida e era explorado pela iniciativa privada, juntamente com o clube, servido de palco para muitas festas, bailes e eventos culturais da alta sociedade que passou a morar na região da Paulista.
Na avenida entre ambos ocorria a largada de várias corridas de automóveis e em 1924, ocorreu a primeira Corrida de São Silvestre, largando desse mesmo lugar. Ainda nesse ano foi doado à Prefeitura da cidade e em 1931 o parque recebeu seu nome atual em homenagem ao tenente Antônio de Siqueira Campos, um paulista de Rio Claro, herói do Movimento Tenentista de 1924.



A partir de 1968, na gestão do prefeito Faria Lima, o parque passou por várias mudanças que tiveram a assinatura do paisagista Burle Marx e do arquiteto Clóvis Olga. E em data recente o parque foi tombado pelo CONDEPHAAT e pelo CONPRESP.
Atualmente o Parque Trianon possui em seu interior, além da única reserva remanescente de mata atlântica da região, outros atrativos como a estátua do Fauno de Vítor Brecheret, um viveiro de aves, fontes, chafarizes, locais de recreação infantil, sanitários públicos e centro administrativo, tornando-se um refúgio de lazer e descanso no meio da agitada Avenida Paulista.






P.S.: Não esqueçam de levar comida para o piquenique ;) 


[Ler mais...]

10 de jan de 2010

"Mexican walking fish"

a"Mexican walking fish", diz o post do site TreeHugger. Eu adoro Axalots - eles são tão fofos - e não podia deixar de postar a matéria que eu vi no site, após um post que meu namorado compartilhou comigo através do Google Reader.



Parece que esses bochinhos com cara de emoticon está entrando em extinção! :/ E como diziam na matéria que li: "estamos entristecidos por isso". Verdade, eu também estou!
Para quem ainda não conhece bem, este bichinho bonitinho é uma Salamandra (Ambystoma mexicanum), também conhecido como peixe de passeio ou monstro da água mexicana (monstro? essa coisinha fofa? *-*) - algo assim. rs O Axalote tem grande habilidade de regeneração de várias partes do corpo.
Se eu entendi direito o texto, eles estão entrando em extinsão devido a destruição de seu habitat e poluição da água! :/ Ninguém sabe ao certo sua quantidade na natureza, porém o número de Axalotes tem diminuido bastante.



Um problema é com espécies exóticas de peixe como a carpa asiática que come Axalotes mais jovens! >.<




Outro problema é que os lagos foram drenatos e o esgoto da Cidade do México polui as águas. E isso nunca é fácil de se resolver...


Caso queiram ler a matéria na iíntegra, só acessarem o link direto para a matéria do TreeHugger que postei acima. ;)
[Ler mais...]



É, tem quem gostou, tem quem não gostou - como já disse o I Love True Blood (blog fã da série). Eu particularmente acho que não foi ruim, porém também não colou... Sorry Pitty. Agora o Jaaaaace cantando... Ah, eu gosto! O country dele é muito legal! Confiram aí:

[Ler mais...]

[Sangrando(eu devo estar sonhando)]
Como posso eu fingir que não vejo
O que você esconde, assim, tão descuidado?
Eu a vi sangrar,
Você me ouviu respirar,
E eu nos congelei dentro de mim mesma.
E me afastei.
Eu devo estar sonhando.

Todos nós vivemos,
Todos nós morremos.
Isso não começa a justificá-lo.

Isso não é o que parece
Nem o que você pensa.
Não eu devo estar sonhando.
É somente em minha mente,
Não na vida real.
Não eu devo estar sonhando.

Ajude você sabe que devo dizer a alguém.
Diga-lhes que eu sei o que tenho feito.
Eu temo, mas os medos falados podem tornar-se verdadeiros.

Nós todos vivemos,
Nós todos morremos.
Isso não começa a justificá-lo.

Isso não é o que parece
Nem o que você pensa.
Não, eu devo estar sonhando.
É somente em minha mente,
Não na vida real.
Não, eu devo estar sonhando.

Não o que parece,
Não o que você pensa.
Eu devo estar sonhando.

Apenas em minha mente,
Não na vida real.
Eu devo estar sonhando.

(Evanescence)
[Ler mais...]